Lançamentos Iniciativa HQ



Clique na Imagem para Acessar e Baixar!

Fantastic Man



Clique na Imagem para Baixar!

Artemis


Clique na Imagem para Baixar!

FELIZ dia do Quadrinho Nacional!

Uma data especialíssima para nós, brasileiros, que curtimos, fazemos e divulgamos quadrinhos em geral. Uma arte muito rica, num país que pouco a valoriza. Este fato torna este dia ainda mais importante, pois é uma ótima oportunidade para que o Brasil conheça e reconheça nossos talentos pelos quadrinhos de toda nação, desde os cartuns, os heróis, os alternativos e toda infinita variedade de quadrinhos que temos por aqui.


O dia 30 de janeiro foi escolhido para comemoração dos Quadrinhos Nacionais, inspirado em um dos primeiros quadrinistas do mundo chamado ANGELO AGOSTINI; um desenhista italiano que firmou carreira no Brasil, lançando a primeira hq brasileira e uma das mais antigas do mundo: NHÔ-QUIM (em 30 de janeiro de 1869).



Parabéns a todos os ilustradores, roteiristas, editores, incentivadores, fãs e compradores de qualquer segmento do quadrinho nacional. Que todos tenham muito sucesso e as perspectivas aumentem cada vez mais neste ramo! Parabéns a todos!!!

Turma da Mônica Jovem vai se encontrar com criações de Osamu Tezuka

Astro Boy, Kimba e Princesa Safiri aparecerão em quadrinhos brasileiros. Os personagens clássicos do japonês Osamu Tezuka vão fazer participação especial em Turma da Mônica Jovem, nas edições de fevereiro e março.

Segundo release da Maurício de Sousa Produções, a ideia de um encontro entre os personagens circula desde a década de 1980, quando os quadrinistas brasileiro e japonês fizeram amizade. A morte de Tezuka, em 1989, fez o projeto ficar parado por mais de vinte anos.

A HQ pode servir como um trampolim para um projeto de animação unindo os personagens dos dos países.

O crossover acontece nas edições 43 e 44 de Turma da Mônica Jovem, e ganha preview na edição 42, que chega às bancas esta semana.



Fonte: Omelete

Mercenário X



Clique na Imagem para Baixar!

Thunderman #01


Clique na Imagem para Baixar!

O SONHO SAIU DO PAPEL!

Super herói em Caxias do Sul?

Muito tem se falado sobre super-heróis: pessoas com super poderes e de mascara, fazendo coisas humanamente impossíveis. Nas franquias cinematográficas esta categoria de filme tem rendido milhões em bilheteria. Todos nós humanos gostaríamos de ter super poderes, voar como o Super-Homem, se balançar em teias, ficar invisível. Mas isso não faz de você um herói. Existem personagens hoje que possuem super-poderes, capa e mascara e não se enquadram na categoria de herói. Expondo os jovens a uma filosofia de violência e vingança.

O que faz um herói é a sua atitude. Na luta por antigos valores como: verdade, justiça, paz e amor. Inspirando todos jovens a mudar seus próprios mundos.

Um garoto da periferia não está fadado a ser um marginal, pois pode ser um médico, engenheiro, policial... Um cidadão responsável.

Orgulhosamente, apresentamos o ANJO URBANO. Um super-herói fictício e regional que busca com seu bom exemplo instigar a coragem na nova geração para despertar o super-herói que existe em cada um de nós.

Agora, a história da origem do herói de Caxias do Sul vai ser contada nos mínimos detalhes. Bem, na verdade, esta história entrou no papel, a HQ está sendo produzida graças a muitos investidores deste projeto cultural.
Custa R$ 5,00.

São 20 páginas coloridas, toda em material reciclado.

O frete é incluso.

Mande um email com o nome,endereço e CEP para entrega junto com o número do depósito rodrigodossant@yahoo.com.br

Parte dos exemplares da revista serão repassados gratuitamente para crianças carentes e o valor arrecadado nas vendas será doado para Associação Beneficiente Fonte de Vida.

Seja um ANJO URBANO na vida de alguém!



A Iniciativa: os novos rumos do blog!

Como já devem ter percebido o blog passou por mudanças estes últimos dias. De uma página pessoal ele “evoluiu” para algo mais...

Tomei conhecimento dos super-heróis nacionais ao mesmo tempo em que reavivava meu interesse pelos super-heróis em geral. Eu mentiria se dissesse que não soubesse de sua existência antes, pois ainda tenho guardadas minhas edições da Master Comics e Força Omega.

Mas desta vez foi diferente. Ao contrario dos escassos exemplares de décadas atrás, e graças à internet, agora havia miríades destes incríveis personagens. Desde alienigenas com os mais variados poderes até vigilantes mascarados.

Naquele tempo havia bons sítios, como o Senarte (R.I.P.), o NHQ (R.I.P.) e o HQNADO que traziam novas histórias e novos heróis quase toda semana. Estes sites funcionavam como “agregadores” de heróis, histórias e artistas. Se você queria uma historia de super-herói brasileiro você sabia onde procurar. Mas o tempo passou e dois destes sítios encontraram seus fins.

E é pensando justamente nestes sítios que tive a iniciativa de seguir seus passos e transformar esta página um sitio “agregador” de webcomics com super-heróis brasileiros. Assim como aqueles que vieram antes espero que este sitio seja um ponto de referencia para autores, leitores e apreciadores destes incríveis personagens que são os super-heróis brasileiros!

Que esta Iniciativa seja a primeira de muitas outras que se tornarão o prelúdio de uma nova Era Heróica!

Para acompanhar as postagens da Iniciativa HQ é só clique AQUI!

Quadrinho Nacional e os Super-Heróis Nacionais

Moacy Cirne à procura das características de um herói genuinamente brasileiro em artigo para a “Revista de Cultura Vozes” citava o Judoka, afirmando que o fato de suas aventuras se passarem em solo brasileiro não fazia com que o personagem encontrasse reflexo numa estrutura ideológica brasileira e em oposição cita Macunaíma e o Saci-Pererê. De fato, a sociedade brasileira estruturada em cima de valores dúbios e acostumada a governantes corruptos talvez merecesse um herói ‘sem caráter’, cínico e de valores morais questionáveis ou um Saci cujo mito foi erguido em cima de travessuras irreverentes e irresponsáveis. É comum à intelectualidade o mero questionamento dos valores enquanto se exime de oferecer opções e soluções.

De fato as aventuras do Judoka se passam em território brasileiro, assim como se dá com várias aventuras do italiano Mister No. Isso não faz com que o personagem da Bonelli se caracterize como um herói do quadrinho nacional, entretanto em favor do Judoka contam os fatos de ter sido publicado visando o público brasileiro, tendo sido criado por autores e editora (EBAL) brasileiros. Suas cores estampavam as da bandeira nacional e o cenário (subestimado por Cirne) refletiam a sociedade brasileira, suas cidades e sua cultura. Teria sido o Brasil destinado por uma maldição da intelectualidade, condenado a negar valores como a coragem, a honra e a justiça, apenas porque o cinismo do pensamento oriundo da influencia do marxismo histórico não admite que um símbolo possa simplesmente almejar representar o bem. Estaríamos nós leitores brasileiros condenados a não poder criar e desenvolver personagens dentro do gênero Super-herói pelo simples fato do gênero ter se desenvolvido num país de conduta imperialista, como os Estados Unidos da América? Estariam os alemães proibidos a desenvolverem Histórias em Quadrinhos de cangaço pelo simples fato de não estarem inseridos na cultura nordestina? Se assim fosse, estaria um autor qualquer ideologicamente impedido de criar aventuras em mundos de fantasia ou em planetas de paisagens exóticas simplesmente porque não haveria alinhamento entre este autor e seu tema.

Judoka é sem a menor sombra de dúvidas um dos melhores exemplos de Super-Herói Nacional, queiram ou não os textos criptografados da elite intelectual. E ainda mais: queiram ou não os pseudo-marxistas, os leitores brasileiros de qualquer faixa etária tem o direito de também possuírem seus heróis! Seja na forma do Pererê bom caráter de Ziraldo, seja na forma do caipirinha boa praça que é o Chico Bento de Maurício de Sousa, seja do tradicional e imponente Cometa de Samicler Gonçalves. O Brasil precisa de heróis e os quadrinhos brasileiros possuem heróis! E mais que meros heróis de ficção, os heróis brasileiros são reflexo das posturas de coragem e audácia de seus autores que se mantém de pé diante de um monopólio de distribuição e edição de revistas que privilegiam o material importado cujos editores mostram-se mercenários em sua maioria.

Seria o Quadrinho Nacional apenas um rótulo? Ou este termo existe para dar conta de um elemento que é fato material. Se levarmos em conta toda a produção dos estúdios Maurício de Sousa, já temos uma resposta. Mas faz sentido ver além das fronteiras do sucesso de público e vendas. No submundo editorial há centenas de pequenos artistas e editores dando conta de também fazerem registrar em arte sequecial a existência de seus personagens e universos gráficos e é desse “submundo editorial” que surgem novos autores, novas propostas e novas visões de quadrinho nacional em uma infinidade de gêneros e subgêneros.

Se há críticas ao acabamento gráfico, às capacidades técnicas e narrativas dos nossos autores, assim o é porque a crítica existe para alertar, cutucar, incomodar, mas, sobretudo, para acordar. Só não há sentido na crítica cega que atira nos pontos negativos sem resguardar a existência dos pontos positivos. E se há comparação com o que há de enlatado nas nossas bancas é importante frisar que os enlatados passam por uma seleção de mercado antes de chegar às nossas prateleiras, as revistas de qualidade inferior normalmente não constituem material de exportação gringo.

A quem se questione sobre o que seja o quadrinho nacional e se há a exigência de um reflexo da cultura brasileira neste quadrinho faria sentido uma leve olhada no material produzido por Flávio Colin, Julio Shimamoto, Mozart Couto, Cedraz, Lailson Holanda e Watson Portela inicialmente, numa lista infindável de autores que já garantiram com sua colaboração para que o quadrinho no Brasil fosse mais brasileiro. Estes sim, os autores, são nossos super-heróis nacionais!

JJ Marreiro é autor de diversos super-herois brasileiro, como Beto Foguete, a Mulher Estupenda e o Zorn (oooops, esse ultimo não hein?!?!)

Sobre a Iniciativa!

Tomei conhecimento dos super-heróis nacionais ao mesmo tempo em que reavivava meu interesse pelos super-heróis em geral. Eu mentiria se dissesse que não soubesse de sua existência antes, pois ainda tenho guardadas minhas edições da Master Comics e Força Omega.

Mas desta vez foi diferente. Ao contrario dos escassos exemplares de décadas atrás, e graças à internet, agora havia miríades destes incríveis personagens. Desde alienigenas com os mais variados poderes até vigilantes mascarados.

Naquele tempo havia bons sítios, como o Senarte (R.I.P.), o NHQ (R.I.P.) e o HQNADO que traziam novas histórias e novos heróis quase toda semana. Estes sites funcionavam como “agregadores” de heróis, histórias e artistas. Se você queria uma historia de super-herói brasileiro você sabia onde procurar. Mas o tempo passou e dois destes sítios encontraram seus fins.

E é pensando justamente nestes sítios que tive a iniciativa de seguir seus passos e transformar esta página um sitio “agregador” de webcomics com super-heróis brasileiros. Assim como aqueles que vieram antes espero que este sitio seja um ponto de referencia para autores, leitores e apreciadores destes incríveis personagens que são os super-heróis brasileiros!

Que esta Iniciativa seja a primeira de muitas outras que se tornarão o prelúdio de uma nova Era Heróica!

Escorpião de Prata Aventura + Humor

Quando o vigilante urbano Escorpião de Prata se encontra com o politicamente incorreto Coelho Puto estão garantidas aventura e humor nas medidas certas! Você vai precisar de fôlego para acompanhar as duas histórias desta edição: Na nonsense Dia de Visita, escrita e ilustrada por Edvanio Pontes, o herói capoeirista se encontra, literalmente, no meio do nada! Depois de perceber que os palavrões foram expurgados das falas dos personagens, o Coelho Puto decide ajudá-lo a voltar para o seu mundo. Mas as coisas não saem exatamente como ele pensava, e o que parecia simples se torna algo complexo e difícil de ser resolvido.

Na HQ Doce Veneno, roteirizada por Eloyr Pacheco e Ricardo Zanin e ilustrada por Edson Novaes, Glauber Matos e pelo próprio Zanin, Escorpião de Prata é envenenado pelo irreverente, porém letal, Sapo-Cururu. À beira da morte, Escorpião de Prata é encontrado por uma misteriosa e aparentemente inofensiva velhinha que quer ajudá-lo, caso

os delírios do herói permitam que isso aconteça. Escorpião de Prata Aventura + Humor tem texto de apresentação de Laudo Ferreira Junior e uma galeria com artes de Will, Everton Veras, Samuel Bono e Adriano Sapão. E texto adicional sobre o Escorpião de Prata de Marcio Roberto do Prado. A arte da capa é de André Coelho (Miss Marvel,Besouro Azul, The Flash) com cores de André Bacchi.

Escorpião de Prata Aventura + Humor 40 páginas de miolo + 4 capas - Formato 17 x 26cm

Capa em papel couché 115g em cores, miolo em P&B impresso em papel off set 75g - Tiragem 1.000 exemplares

Preço: R$ 7,00. Pedidos pela Revistaria Odisseia (43) 3027-4250 e pelo endereço eletrônico r.odisseia@hotmail.com



Fonte:EditoraEMT

Lipe ganha coletânea de tiras

Lipe, personagem infantil criado pelo chargista e quadrinhista Lorde Lobo, e que serve de mascote do caderno infantil Agorinha, do Jornal Agora, da cidade do Rio Grande/RS, vai ganhar o seu primeiro livrinho. Trata-se de uma coletânea contendo as primeiras tiras do personagem.

De acordo com o autor, "ao ver o Lipe pela primeira vez, você pode até pensar que ele é mais um personagem infantil, em forma de menino, em meio a tantos outros que já existem... e é mesmo!!! Mas assim como os meninos de verdade, cada personagem tem suas próprias histórias para serem contadas, afinal, nenhuma criança é igual à outra! Assim é Lipe, um menino como muitos outros... e tão especial quanto cada um deles! As tiras de humor do Lipe tratam da infância, e justamente por isso, são leves e divertidas, tal qual esta fase da vida".

O livro, que tem prefácio do quadrinhista cearence JJ Marreiro, só se tornou possível graças ao apoio cultural dado pelo Colégio Alternativo, pela Unimed Litoral Sul e pelo colunista esportivo Alessandro Leite. A noite de autógrafos está marcada para o dia 2 de fevereiro, às 21 horas, na 39ª Feira do Livro da Furg, no balneário Cassino. Os exemplares serão vendidos com exclusividade na banca da Furg, em Rio Grande/RS.

A Coletânea de Tiras do Lipe tem 32 páginas, formato 21 x 10 cm , totalmente em cores. O preço não foi divulgado.

Para mais informações, acesse o site do autor clicando na imagem abaixo:


Fonte: Mundo HQB

Salomão Ventura para download gratuito

A publicação independente de terror “Salomão Ventura – Caçador de Lendas”, de Giorgio Galli, está com o download gratuito liberado.

Salomão Ventura – Caçador de Lendas – traz de volta aos gibis brasileiros o tema do horror, que foi uma das principais vertentes exploradas por autores e ilustradores no quadrinho brasileiro nos anos 80.

Com influências que vão desde os gibis da EC Comics, passando pelos grandes mestres do horror e fantasia do quadrinho nacional, Salomão Ventura – Caçador de Lendas apresenta os personagens de nosso folclore – que tiveram suas histórias infantilizadas e deturpadas com o passar do tempo – sob a ótica do terror fantástico.

A inspiração para a HQ foram os relatos colhidos pelo folclorista Luís da Câmara Cascudo em sua obra, principalmente “Geografia dos Mitos Brasileiros”.

O gibi – que surgiu como o TCC do autor na pós-graduação em Ilustração e Design – foi premiado no concurso de Quadrinhos de Terror promovido pelo projeto Oi Quadrinhos (apenas o prólogo de três páginas), e acabou ganhando fôlego para o lançamento impresso. Em 2011 a revista ganhou o prêmio DB artes, e passou a integrar o Coletivo Quarto Mundo.

Para baixar as publicações, basta clicar na imagem abaixo para acessar o site da obra.


Fonte: Impulso HQ

Vencedores do 28° Ângelo Agostini

Aconteceu no último dia 14, a apuração dos milhares de votos que foram enviados para o “Prêmio Ângelo Agostini”. Todos os anos a AQC-SP (Associação dos Quadrinhistas e Caricaturistas do Estado de São Paulo) realizam esse evento que é uma espécie de “Oscar dos Quadrinhos Brasileiros”. Segundo Worney de Almeida, responsável pela entidade, este ano foram milhares de votos vindos de várias partes do país. Estarão recebendo o Troféu Ângelo Agostini:
Melhor Desenhista – Maurílio DNA
Melhor Roteirista – Daniel Esteves
Melhor Cartunista – Gustavo Duarte
Melhor Lançamento – Ação Magazine (Lancaster Editorial)
Melhor Lançamento Independente – Love Hurts (Murilo Martins)
Melhor Fanzine – Miséria (Coletivo Miséria)
Troféu Jayme Cortez – Afonso Andrade, em nome do FIQ (Festival Internacional de Quadrinhos de BH)
Mestres do Quadrinho Nacional: Bira Dantas, Fernando Gonsales, Lourenço Mutarelli e Moacir Torres.
O dia e local da premiação serão divulgados posteriormente no site: http://aqcsp.blogspot.com/



Fonte:EditoraEMT

Hadrian Marius: Tenho pra mim que o maior feito da Ação Magazine é ter trazido os quadrinhos brasileiros de volta para as bancas. Seus editores poderiam se satisfazerem em simplesmente em coloca-la nas gibiterias e webshops - e assim viverem do nicho -, mas optaram pelas bancas que é onde se tira a prova dos noves sobre a popularidade de um trabalho! Parabéns a equipe da Ação Magazine pela conquista!

DC COMICS N52´s - Seis saem. Seis Entram!

Seis saem, seis entram. É a decisão da DC Comics após quatro meses no mercado com sua iniciativa que lançou 52 novas séries em setembro. Seis títulos que estavam entre as menos vendidas do reboot caem fora - Men of War, Mister Terrific, O.M.A.C., Hawk & Dove, Blackhawks e Static Shock -, prontamente substituídas por outras seis.

Hadrian Marius: Droga! Dos seis titulos tesourados eu acompanho três - O.M.A.C., Blackhawks ( O G.I. Joe da DC) e Static Shock.

A notícia foi anunciada ao jornal USA Today em duas matérias. E tem boas novidades entre as novas séries:

- Batman Incorporated: O título retorna para nova fase, substituindo o que deveria ser a minissérie Batman: Leviathan. Grant Morrison e Chris Burnham retomam a parceria para contar a derrocada do Bat-plano multinacional, e também o adeus de Morrison ao homem-morcego - "se sobrevivermos ao apocalipse maia", acrescenta o escritor.

Hadrian Marius (editado); Comecei a ler Corporação Batman ontem e a unica coisa interessante da série é mostrar heróis de outros lugares e/ou países...

- Earth 2: Anteriormente citada como série da Sociedade da Justiça, a parceria entre James Robinson e Nicola Scott vai pegar toda essa realidade paralela com os personagens da Velha Guarda da DC.

Hadrian Marius: É gratificante saber que a Sociedade da JUstiça irá voltar. Earth 2 e World´s Finest compensam plenamento o cancelamento do titulo do Senhor Incrivel (Mister Terrific).

- World's Finest: O título ressuscitado também tem ligações com a Terra-2, pois traz as personagens Caçadora e Poderosa "exiladas" daquele mundo. Paul Levitz roteiriza, com George Pérez e Kevin Maguire revezando-se nos desenhos.

- The Ravagers: Série derivada de Superboy e Teen Titans, estrelando quatro super-adolescentes em fuga da organização N.O.W.H.E.R.E. O roteirista Howard Mackie retorna aos quadrinhos após longa ausência, com Ian Churchill nos desenhos.

Hadrian Marius: Mais uma equipe de Jovens Herois. Pessoalmente eu gosto e quem sabe não aparecerão alguns personagens adolescentes que ficaram fora dos Novos Titãs.

- G.I. Combat: Descendente direta de Men of War, a série vai ter o mesmo padrão da anterior - uma história principal mais longa (começando com "A Guerra Que a História Esqueceu", por J.T. Krul e Ariel Olivetti) e secundárias com o Soldado Desconhecido (Justin Gray, Jimmy Palmiotti e Dan Panosian) e o Tanque Mal-Assombrado (John Arcudi e Scott Kollins).

Hadrian Marius: Pelo dito parece que vai ser uma continuação do Men of War - que não acompanho, mas posso dar uma olhada agora que sei que a série vai ser cancelada - mas mesmo assim vou dar uma espiada.

- Dial H: A última e promissora série resgata o conceito "Disque H para Herói", com o aparelo que concede superpoderes a quem o tiver. O escritor de ficção científica China Miéville fará sua primeira HQ, ao lado do desenhista brasileiro Mateus Santolouco (e capas de Brian Bolland).

Hadrian Marius (editado): Paige Guthrie usa um Dial H na X-Patrol do Universo Amalgama. E desde aquela época o conceito me interessou...

As séries canceladas terminam nas edições número 8, de abril. As novas séries começam em maio.

Hadrian Marius: O unico lamento é em relação ao Super Choque (Static Shock), com o cancelamento do titulo o universo Milestone fica sem uma revista nos Novos 52. Uma pena, é um universo que admiro apesar do Super Choque não ser meu personagem favorito. Fica a duvida: será que Super Choque fará parte do novo time de adolescentes?

Fonte: Omelete

NewPop anuncia Kimba, o Leão Branco.

A editora NewPop anunciou alguns de seus planos para 2012. Além de voltar a sua periodicidade correta após uma breve pausa, a editora também anunciou a publicação de Kimba, o Leão Branco e mais duas outras obras de Osamu Tezuka.

A editora ainda não especificou quais serão seus outros dois títulos, mas com esse anúncio a editora terá cinco obras do mestre Osamu Tezuka em seu "currículo".

Kimba, o Leão Branco é uma importante obra de Tezuka, composta em três volumes, conhecida mundo afora pelo suposto caso de plágio por parte da Disney com O Rei Leão.


Visto no Animepro

Hadrian Marius: Se você quer saber mais sobre este clássico dos clássicos dos mangás recomendo o interessante e completo artigo publicado no Maximum Cosmo pelo Alexandre Lancaster para o Tezuka´s Day!

Farpas #01



Clique na Imagem para Baixar!

Hadrian Marius: Meu segundo gibi, desta vez apresentando uma nova heroina ou seria vilã ou talvez uma anti-heroina?! Somente o tempo e novas histórias dirão! Não esqueçam de comentar...