MOTES DE ROTEIRISTA

- Escrever para Quadrinhos é mais ou menos como escrever poesia.

- Saiba o fim da história antes de você começar a escrevê-la.

- Quando possível comece com o convencional, mostre seu protagonista num estado natural.

- Mostre apenas o que é importante, comece a cena o mais tarde possível.

- Vá até seu personagem apenas quando estiver fazendo ou dizendo algo importante, senão ignore-o. Ou lhe de algo para fazer, você é o escritor e por isso presume-se que possa fazer isso.

- Mantenha a história em constante movimento.

- Nunca escreva uma cena ou um simples quadro que não faça sua história avançar de alguma maneira.

- Personagem é história. História é ação e ação é o que o personagem faz.

- O herói deve ser o agente da resolução da história, ele deve agir, em vez de apenas reagir, e estar envolvido diretamente com o enredo principal.

- Use o diálogo tão cedo quanto possível e com freqüência.

- Se você não desenvolveu uma inclinação para o humor não tente usá-lo, poupe sua platéia.

- Seu vilão deve ser tão grandioso quanto o herói, às vezes, é melhor que seja superior. Se não em valores morais, pelo menos em força, recursos ou inteligência.

- De ao vilão uma motivação genuína.

- Evite “deixar no teclado”. Você sabe o que aconteceu. Para você é perfeitamente óbvio. Mas o leitor não sabe até que você conte para ele. Ele não está lendo ficção porque gosta de jogos de adivinhação.

- Escritores aprendem a escrever escrevendo.

- Alguém disse que fazer roteiros é fácil?


(Compilado de meu livro de cabeceira “Guia DC Comics de Roteiros, por Dennis O´Neil”)

Nenhum comentário:

Postar um comentário