Sniper

"A senhorita fez uma excelente escolha. Eles combinam com seus olhos".

Ethienne sorriu retribuindo o elogio feito pelo vendedor. Ela havia estado parada na banca por cerca de vinte minutos; o vendedor, um homem aparentando uns quarenta anos e provavelmente um escravo, tamanha a profusão de manchas em sua pele, algo característico desta raça de miseráveis, estava ansioso e sua impaciência começava a se mostrar visível.

Talvez a única coisa que o impedia de se exaltar eram as formas delicadas da cliente que além das mãos delicadas, que manuseavam a mercadoria, deixava entrever entre as dobras do sobretudo entreaberto as formas quase perfeitas de seu corpo.

A jovem, desde o começo, não tinha a menor intenção de gastar um único crédito naquelas bugigangas mas vendo a expectativa na face do pobre homem decidiu-se por um par de brincos adornados por uma bijuteria imitando o azul celeste; a mesma cor de seus olhos, motivo que levou o vendedor a dizer-lhe o elogio, mostrando os dentes amarelos de satisfação pela venda.

A garota, de cabelos acinzentados, não estava naquele local, conhecido por suas casas de jogos e de prazer, apenas por estar. Estava ali esperando, uma espera que havia terminado.

Ao mesmo tempo em que pagava o vendedor um carro gravítico estacionou na boate localizada a sua frente, do outro lado da rua, e um homem, aparentando ter uns vintes anos e elegantemente vestido, saiu de seu interior e entrou na casa noturna.

Assim que ele desapareceu na penumbra da porta da boate Ethienne pegou a bolsa que descansava a seu lado e começou a se distanciar do camelô até desaparecer num beco.

Minutos se passaram até que ela se viu sobre um edifício de três andares; um local que lhe permitia contemplar a entrada da casa noturna que havia recebido o homem em seu interior.

Ela, caprichosamente, abriu a bolsa e retirou o rifle de precisão, que reluziu com os raios vermelhos do sol. Olhou-o com um misto de carinho e respeito; era uma arma magnífica pelo menos era esta sua opinião.

Deixou-o sobre a bolsa enquanto se desfazia do sobretudo revelando o corpo apenas insinuado para o camelô. Se o pobre homem o visse assim apenas com o traje, feito de tecido de moléculas reflexivas, moldando-se nas as curvas de seu corpo, provavelmente não acreditaria que fosse obra da natureza mas, o produto de bioescultura, tão comum entre a alta burguesia. Ethienne sorriu.

Deitou-se próximo ao parapeito e o traje começou a cumprir seu objetivo; a luz que incidia sobre ele era absorvido tornando sua usuária quase invisível, tanto a olho nu como por sistemas de detecção por radar, infravermelho e microondas.

O rifle oscilou firme em suas mãos delicadas. Seu olho direito focalizou através da lente vislumbrando vivamente a porta da boate. Tudo estava pronto, agora era apenas uma questão de esperar.

Os minutos começaram a transcorrer e, se ele mantivesse a rotina, dentro de pouco tempo tudo estaria terminado. Nada poderia perturbar sua concentração naquele momento. Seus olhos estavam fixos na porta. Sua mente vazia, todo e qualquer pensamento nem ao menos era cogitado. Se alguém a visse naquele momento acharia que se tratava de uma estatua tamanho era tensão imposta aos músculos que permaneciam rijos como se temessem atrapalhar a concentração ao qualquer movimento.

O tempo previsto se cumpriu e a porta se abriu. Se fosse possível, naquele momento, Ethienne teria suspirado de alivio pelo fim da espera. Um homem apareceu, não aquele que ela esperava, e olhou para todos os lados da rua antes de voltar sua atenção para o interior da casa noturna. Outra pessoa apareceu à porta, uma mulher desta vez, provavelmente uma sexadoll. A andróide revelou logo atrás dela aquele a quem esperava; vinha sorridente, abraçado à outra andróide enquanto conversava com alguém de seu lado.
Ethienne não viu quem conversava com ele, e nem se importava, pois seu objetivo estava à frente. O momento que esperava há quase um mês estava se descortinando, era só a sexadoll desviar a cabeça um pouco...

Seu dedo pressionou o gatilho com tamanha naturalidade que parecia se parte do mecanismo da arma; o projétil deslizou pelo espaço-tempo e se alojou na testa do rapaz. Milésimos de segundos se passaram até que o barulho de algo se quebrando anunciou a saída da bala na nuca do mesmo. Ele hesitou por um instante, talvez não quisesse acreditar que o fim tivesse chegado, e tombou para frente revelando a nuca inexistente.

Gritos. Correria. Palavras de ordem. Por um momento o corpo foi esquecido sendo apenas velado pelos olhos de vidro e sem emoção das andróides de prazer.

Missão cumprida. Ela virou o corpo e, abraçada ao rifle, começou a observar o céu que anunciava o fim do dia. Sabia que naquele momento estariam procurando pelo responsável mas, como sempre acontecia, não encontrariam nada e quando as luas se fizessem alta na noite ela deixaria aquele lugar, voltando para o lugar de onde veio.

Esperaria a próxima missão. A próxima vez em que seus serviços seriam necessários. E, Ethienne, os cederia de bom grado, desde que pagassem seu preço.


ENDE

Meu Destino Sou Eu


"Quem sou eu?

Como posso identificar em mim aquilo que eu sou de verdade e aquilo que querem que eu seja?

Em que momento deixo de existir na minha essência e passo a ser aquilo que moldaram?

Quem nasci?

Quem sou?

Quem quero ser?

Até que ponto não sou o que me forçaram ser?

Apenas sombra de todos os que me influenciam?

Até que ponto não sou produto daquilo que o dinheiro pode comprar?

Quantas capas tenho que despir até poder me reconhecer?

Quem é esta pessoa que o espelho reflete?

Quantas caras, quantas bocas possuo?

Quem sou eu afinal?"


- Meu Destino Sou Eu

Sonia Salerno Forjaz

pág. 11

O Sistema Corso

Originalmente planejado para sair em uma revista de anime e mangá, infelizmente acabou tendo sua publicação prejudicada por diferenças editoriais. Agora, está sendo liberado pelos autores que estaram publicando isso como capítulos semanais via blog, toda sexta-feira .

http://sistemacorso.blogspot.com/

Com o tempo, as imagens dos personagens e dos robôs aparecerão (sim, terão figurinhas bonitinhas ao longo da história). Recomendadíssimo.

Turma da Mônica mangá em agosto

Turma da Mônica mangá em agosto
Por: Anime Pró - 03/06/2008

Turma da Mônica Jovem, novo título da franquia do quadrinista Maurício de Souza voltada ao público teen e desenhada em estilo mangá deve chegar às lojas do Brasil em agosto desse ano. O anúncio foi feito pelo próprio Maurício durante entrevista cedida ao programa Amaury Jr Show, da Rede TV!. O projeto já anunciado há algum tempo, visa buscar leitores adolescentes para as histórias em quadrinhos, já que o público das revistas mensais se concentra em crianças e adultos.O mais aguardado pelos fãs é o traço que ganhará Mônica e toda a turma do bairro do limoeiro, que ainda não foi divulgado. Novas informações como formato e preço da publicação devem chegar a imprensa ainda nos próximos meses.

Fonte: Universo HQ

Flash Gordon de volta em quadrinhos inéditos



Flash Gordon de volta em quadrinhos inéditos

Por Marcus Ramone (27/05/08)

O herói espacial Flash Gordon retornará aos quadrinhos em um novo título mensal da Ardden Entertainment.

Depois do sucesso da edição # 0, vendida e esgotada neste ano durante a New York Comic-Con, a editora aposta na continuidade da série escrita por Brendan Deneen e desenhada por Paul Green.

Mas que ninguém espere a volta da criação clássica de Alex Raymond sem as devidas adaptações ao século 21. Mostrando os principais personagens que marcaram as tiras de Flash Gordon desde sua estréia em 1934, a nova série recria o visual de todos eles com traços estilizados e os coloca em aventuras mais ao gosto das gerações afeitas ao ritmo de videoclipe.

Flash Gordon # 1 (32 páginas coloridas, US$ 3.99) chegará às comic shops dos Estados Unidos no próximo dia 20 de agosto, com três capas variantes - apresentando o personagem-título, a eterna namorada Dale Arden e o nefasto Imperador Ming. A partir da segunda edição, serão duas capas alternativas em cada número.

Antes da iniciativa da Ardden Entertainment, a última vez em que o viajante do espaço havia estrelado uma HQ com aventuras inéditas foi numa minissérie em duas partes lançada pela Marvel Comics, em 1995.

Nos jornais, as tiras inéditas de Flash Gordon foram veiculadas até março de 2003 e atualmente sobrevivem de republicações.


A Sociedade Gundam Internacional

A Sociedade Gundam Internacional

Como parte da Bienal de Animação de Hiroshima de 2008, que acontecerá do dia 7 ao dia 26 de Agosto, haverá um evento chamado "International Gundam Society" (Sociedade Gundam Internacional) que apresentará uma visão socio-econômica do futuro alternativo (ou não, quem sabe) em que existam os famosos Mobile Suit Gundam. O evento examinará as várias situações, problemas e ações que uma cidade do futuro teria se tivesse crescido, sendo influenciada pelos Gundams como um dos seus principais componentes culturais - com até mesmo a contínua popularidade da série no futuro! -. Os participantes incluem o Professor Shinya Hashizume, Dr. Etsuko Yamaguchi, e o palestrante Mikio Sugiura - devem ser importantes -.

Os assuntos tratados serão:
A possibilidade de de a "era" Universal Century se tornar real (a possibilidade de uma emigrassão para o espaço)
Conflitos humanos na Terra e no espaço (uma visão histórica sobre o elitismo)
A psicologia social dos "spacenoids" (o surgimento dos Newtype)
Amor pela Terra e pelo lar (os efeitos em se morar longe de casa)
A revolução de Zeon (considerando o perpetuamento do fascismo)
A políticas da tecnocracia (Federação da Terra)
A possibilidade da mudança da consciência humana numa guerra
A dispersão internacional e os impactos econômicos dos Gundam

400,000 pessoas são a expectativa de público para a Bienal, cuja atração principal será o Robot Anime Expo.

Bestiario Interstella: alguns animais comuns

Bestiario Interstella: alguns animais comuns


- Lobo Dentes de Sabre

Originário das florestas de coníferas de Betânia está criatura costuma caçar em matilhas encurralando a presa. Estes animais são análogos aos existentes em Terrania com a diferença de que seus caninos superiores podem crescer até atingirem o tamanho de 20 cm ou mais.Todos os lobos dentes de sabre fazem três ataques por turno:duas garras (FA=F+ld) e uma mordida (FA=F+H + ld).


Fl, H l-2, RI-2, AO-1, PdFO, Sentidos Especiais ( Audição Aguçada e Faro Aguçado)

- Crocodilo de Maanayn

Estas criaturas vivem nas margens dos rios de Maanayn espreitando uma possível presa. Seu formato achatado, pele rugosa e esverdeada oferece-lhe excelente camuflagem nos charcos.

Fl-3, HO, RI-3, Al-2, PdFO,Arena (água).

- Vermes de Areia

Vistos pela primeira vez em Maanayn estas criaturas semelhantes a minhocas correm sob as areias dos desertos sempre em busca de uma presa Quando a encontram eles surgem de surpresa procurando abocanhar a vitima e arrastá-la para debaixo da areia. Seu tamanho varia entre 2 e 25 metros.

F2-3, H2, R1-2,AO-1, PdFO.

- Cockatrice

Cockatrice possuem cabeça e patas de galo, cauda de serpente e corpo de ave, mas com escamas. Cockatrices vivem em pequenos bandos de 2 a 5 aves, são mais comuns em planetas distantes de suas estrelas e planetas estufas.
Embora não pareça muito perigoso à primeira vista, o cocatriz tem o temido veneno paralisante: sempre que acerta um ataque com o bico, além de causar dano (apenas l ponto), a vítima deve ser bem-sucedida em um teste de R-l. Falha significa que ela está paralisada, como na Vantagem: Paralisia. Esse poder não consome Pontos de Magia da criatura, e funciona apenas com criaturas vivas.

FO, H l-3, RO-1, AO, PdFO, Paralisia


- Falcão Galaad

Estas aves, naturais de Galaad onde fazem seus ninhos nos picos mais elevados, costumam atacar os rebanhos para roubar ovelhas ou bezerros. Infelizmente mais de uma vez um pastor foi pego no lugar destes animais. Os Falcões costumam alcançar 3 m de comprimento por 7 de envergadura. Fazem dois ataques por turno com as garras FA=F+ld) e o bico (FA=F+H + ld). São provavelmente as criaturas voadoras mais rápidas que existem.

F2-3, H5-7, R3-5, Al-2, PdFO, Aceleração


É isso ^__^

Lançamento - Interstella 3D&T

Lançamento: Interstella 3D&T

É com orgulho que anunciamos a lançamento do livro do básico do Interstella - Cenário de Campanha.


Interstella está dividido em nove capítulos:

Parte 1 – O Cenário: aqui você vai conferir um pouco sobre a situação da galáxia.

Parte 2 – Novas Regras: aqui detalhamos as novasregras, além de novas vantagens, desvantagens.

Parte 3 – Mundos: aqui descrevemos a origem da Dispersão além de seus principais mundos.

Parte 4 – Organizações: Algumas das organizações e entidades mais importantes da galáxia para os personagens jogadores adotarem como Patronos.

Parte 5 – Outros Destaques: Mais lugares da galáxia.

Parte 6 – Aventurando-se: aqui falamos algo sobre política, equipamentos, cibernéticos e etc.

Parte 7 – Saque e Conquista: as principais raças inimigas dos mundos civilizados.

Parte 8 – Bergahazza: uma nova ameaça vinda das profundezas do espaço.

Parte 9 – Aemon: Monstros gigantes.

Baixe-o aqui::

^________^

Interstella - Introdução

Interstella - Introdução




A Via Láctea possui forma espiralada, com 100.000 anos luz de diâmetro por 400 anos luz de espessura.
O núcleo central é composto de um gigantesco buraco
negro, em torno do qual não só gira nossa galáxia,mas também as nuvens de Magalhães. Existem bilhões de estrelas orbitando o núcleo central,formando “braços” como se seguissem umas as outras.
O Sol fica no final (ou começo) do Braço de Órion,cujo nome deriva da nebulosa de mesmo nome. Mais para fora da galáxia encontram-se os Braços de
Perseu e Cygnus e para dentro, olhando mais oumenos na direção do Cruzeiro do Sul, se vêem os Braços de Sagitário, Scutum-Crux, Norma e o Centro
da Galáxia.
Menestréis,livre-cambistas, mercadores, caça-prêmios, soldados e aventureiros com coração de aço percorrem esta vastidão carregando histórias de mundos estranhos, gloriosos e longínquos.

- Uma Galáxia em Movimento

A maioria dos mundos humanos está na Dispersão, uma vasta região da galáxia que abrange Perseu, Cygnus e extensões de Órion. Mundos humanos podem ser encontrados em numerosos outros pontos da Via Láctea, mas é aqui que a humanidade faz sentir seu predomínio bélico, cultural e religioso.
Na Dispersão estão planetas como Guimaraes com
seus monumentos dedicados às glórias da humanidade. Terrania com suas universidades e catedrais cujas torres pontiagudas perfuram os céus.
Galaad com suas mulheres, de longos cabelos negros, envoltas em seda e vastas casas guerreiras. Betânia com seus invernos rigorosos e Kariath-Yarin com seus
zigurates e magníficos jardins suspensos.
Aqui também esta a Igreja Católica, os valorosos e honrados cavaleiros da Santa Cruz e a poderosa Companhia das Índias Galácticas cujas frotas mercantes cortam o éter enfrentando piratas e mercadores goblins expandindo ainda mais a influencia humana.
Este é um lugar de Vassalos e Suseranos. De Cavaleiros e Mercadores. De Sacerdotes e Aventureiros. Enfim, um lugar em eterna efervescência.
Os homens são uma raça de construtores de impérios, mercadores, sacerdotes e amantes da aventura e estão sempre dispostos a enfrentar os desafios quando eles aparecem. A humanidade é jovem e vigorosa e esta destinada a sustentar o futuro da galáxia em suas mãos – para o bem ou para o mal.
- Uma Galáxia de Muitos Povos.

Mas esta não é uma galáxia só de humanos, eles podem ser os mais comuns, mas não os únicos. A humanidade divide seu lar com uma enorme variedade de outras espécies inteligentes - entre elas os elfos.
Os elfos são a raça dominante da nação espacial mais poderosa da atualidade: o Império Vadari. Cercados por diversas raças auxiliares, os decadentes lordes vadari muitas vezes tentam impor sua vontade sobre os frágeis mundos humanos.
Também há anões na galáxia. Tão comuns quanto os elfos, encontrados nas ruas das grandes cidades planetárias ou bebendo cerveja em tavernas de entrepostos espaciais. Séculos atrás a Irmandade Anã rivalizava em poder com os impérios élficos, mas nos dias de hoje a Irmandade é apenas um fantasma que assombra os nobres anões.
Existem os basteth, uma raça de ancestrais felinos Séculos atrás os basteth perderam seu mundo natal e desde então adotaram os mundos humanos como seus. Os basteth prezam a individualidade e a liberdade acima de tudo e muitos desta raça já mostraram seu valor, seja nos tempos de guerra, seja nos tempos de paz, na defesa destes ideais.
E os tricera, um povo sáurio de guerreiros honrados que, há poucos anos, chegou aos sistemas estelares da Dispersão Humana vindos do centro galáctico. Estranhos numa terra estranha estes sáurios orgulhosos vendem sua força guerreira como força de manter suas frotas voando.
Há goblins na galáxia. Este povo seria apenas mais um entre outros se não fosse sua ambição e ganância. Qualidades estas que tornaram-nos senhores absolutos do comercio espacial. De suas mansões em Rhotundaa, a lua comercial, seus príncipes mercadores impõem suas condições e seus preços a todos os povos, eliminando inescrupulosamente todos aqueles que ousam desafiá-los.
Além dessas há diversas outras raças civilizadas, apesar de seu numero reduzido. Centauros e fadas continuam suas explorações espaciais, mas vêem se tornando cada vez mais prudentes com as incursões humanas. Os sáurios controlam vastos sistemas solares próximo ao centro galáctico. Os orgulhosos Saltadores vagam entre as estrelas, como os nômades que são. No entanto, seu numero é pequeno quando comparado ao menos povoado dos mundos humanos. E há muitas, muitas outras raças. Seres que variam do grotesco ao belo, do sanguinário ao santificado.

- Uma Galáxia Ameaçada

Uma enorme quantidade de inimigos ser erguem contra os jovens planetas humanos e os mundos ancestrais das raças antigas. Em primeiro lugar estão
os povos hostis - hobgoblins, trolls, orcs, ogros e toda
sua espécie.
Treinando guerreiros ferozes em planetas de sóis mortos ou nas cavernas de mundos destruídos,regularmente eles abandonam seus mundos para pilhar e destruir colônias e comboios, que desafortunadamente estão em seu caminho.
A galáxia é o lar de criaturas mais malévolas, cruéis e
calculistas que os capitães hobgoblins ou orcos. As profundezas da galáxia abrigam seres estanhos, poderosos e sinistros que sonham em escravizar as estrelas e devorar o gado humano enquanto reinam soberanos sobre toda a Via Láctea.
Com certeza os bergahazza estão entre estes seres malévolos. Vindos das profundezas do espaço e acostumados a violência e a corrupção eles almejam
conquistar toda a galáxia. Infelizmente poucos sabem da existência destes seres e menos ainda conhecem suas reais intenções.
Entretanto, nem as incontáveis incursões dos povos hostis, nem os poderes sombrios escondidos em nebulosas macabras são a maior ameaça aos mundos civilizados da galáxia. Está honra pertence aos Aemons – criaturas, em geral gigantescas, que habitam o próprio vácuo estelar. Ninguém sabe ao certo quantas espécies existem ou vagam pelo cosmo, mas todos sabem que apenas uma destas criaturas é suficiente para condenar um planeta.

- Uma Galáxia de Heróis

Esta é uma galáxia de constelações brilhantes, vastas nebulosas, sistemas estelares inexpugnáveis e mundos cintilantes, onde exploradores corajosos invadem criptas de mundos mortos em busca de glória e tesouros.
Ladinos insolentes espreitam os incautos nas vielas úmidas das cidades de mundos antigos e jovens.
Clérigos devotados levam a Palavra a todos os cantos
da galáxia e robôs gigantes lutam em arenas para o deleite do público. Cientistas astutos saqueiam as ruínas de povos desaparecidos, pesquisando sem medo os segredos demasiados obscuros para a luz das estrelas.
Monstros espaciais, vilões de coração negro, demônios, hordas selvagens e abominações inimagináveis espreitam em nebulosas horripilantes,ruínas infindáveis, mundos destroçados e nas vastas regiões inexploradas da galáxia, sedentos pelo sangue dos heróis.
A criatura mais perigosa da galáxia sempre será um ser impiedoso o suficiente para realizar qualquer tarefa necessária para a obtenção de suas metas.
Mesmo um ser de inteligência limitada consegue imaginar as intenções de um Aemon ao vê-la caindo em seu mundo, mas desvendar os propósitos de um cientista inescrupuloso ou mercador traiçoeiro é muito mais difícil. Por isso, independente da raça ou posição as criaturas mais notáveis que vagam pela galáxia são os heróis e seus inimigos.
Esta é a Via Láctea um lugar de grandes heróis e vilões irreparáveis, repleta de mundos envoltos em mistérios e grandes perigos. Uma galáxia para você moldar, guiar, defender, conquistar ou reinar.




Os Socialmente Inconvenientes

Os Socialmente Inconvenientes

Por Ives Gandra da Silva Martins

Fonte: http://www.providafamilia.org.br/doc.php?doc=doc55011

Duas observações recentes sobre o aborto impressionaram-me. A primeira, externada por Olavo de Carvalho em seu artigo para o Jornal da Tarde (22/1), intitulado "O desejo de matar", em que afirma "Não havendo certeza absoluta da inumanidade do feto, extirpá-lo pressupõe uma decisão moral (ou imoral) tomada no escuro", concluindo em relação aos abortistas que "porém, é claro também que nada adianta argumentar com pessoas capazes de mentir tão tenazmente para si próprias".

A segunda foi feita por Luís Garcia Leme, professor de Geriatria da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, em que diz: os que defendem o aborto, fazem-no porque o nascituro a ser eliminado é "socialmente inconveniente".

De rigor, a quase unanimidade dos defensores do aborto declara-se contrária a este homicídio uterino, mas alega que, em determinadas circunstâncias, ele se justifica porque o fruto da concepção é indesejável, porque foi concebido conta a vontade, por descuido ou porque o feto está malformado, não se compreendendo que a mãe ou os pais sejam obrigados a sustentar por toda a vida um ser humano deformado ou mal querido, razão pela qual este ser "socialmente inconveniente" deve ser exterminado.

De rigor, poucas são as feministas que sustentam, pura e simplesmente, que o direito ao coito livre pelas mulheres é superior ao direito à vida, justificando-se sempre o assassinato do nascituro sem defesa.

A grande maioria dos abortistas é contrária ao aborto, defendendo sua adoção apenas nos casos dos nascituros "socialmente inconvenientes".

É exatamente este raciocínio o que mais me preocupa, pois é aquele "alcandorado" de uma certa lógica humanitária, que pretende eliminar problemas de consciência, dos que são obrigados a praticá-lo, para que o feto excetuado, se nascido fosse, não tivesse o dissabor de ser "socialmente indesejado".

É que o raciocínio de tais abortistas pode ser aplicado a todos os seres humanos, nascituros ou já nascidos. Na África do Sul, antes de Mandela, ou nos Estados Unidos, antes de Lincoln, os "socialmente inconvenientes" eram os negros, que pagavam por este estigma com a escravidão e os serviços vis. Na Alemanha de Hitler, os judeus foram os "socialmente inconvenientes", sendo os campos de concentração o palco de sua odiosa perseguição e extermínio.

No mundo atual e em todos os países, os socialmente inconvenientes começam a ser os idosos, visto que os valores familiares restam esganados e o homem moderno já não está mais disposto a suportar o "velho inútil", razão pela qual, na maior parte das vezes, substitui o carinho da vida familiar, para aqueles que já cumpriram sua missão, pelos asilos de velhos, em que a tristeza e a solidão terminam por abreviar sua vida.

Em algumas tribos africanas, os velhos socialmente inconvenientes, são simplesmente eliminados: os socialmente inconvenientes, na Judéia dos tempos de Cristo, eram os leprosos.

No próprio mundo empresarial de hoje os cidadãos com capacidade de trabalho que ultrapassam os 45 anos começam a ser socialmente inconvenientes, sendo afastados quase compulsoriamente.

Enfim, há uma mentalidade de "purificação do ambiente social" que leva ao afastamento e à eliminação dos "socialmente inconvenientes", na História do mundo e na atualidade, que me deixa cada vez mais preocupado, na medida em que é um raciocínio que, subconscientemente ou não, principia a ganhar foros de realidade aceita pelos "socialmente convenientes", que podem um dia se tornar "socialmente inconvenientes".


Creio que a defesa do aborto - que é a eliminação de um ser humano "socialmente inconveniente" - é um passo decisivo para a eliminação da solidariedade humana e a volta do "ideal nacional socialista" de que o mundo só deve ter espaço para "raça pura", ou melhor, a raça dos "socialmente convenientes".


Revista de FC online

Revista de FC online.




O FANTASMA DA DOCA 6 por Aguinaldo PeresHavia alguma coisa de muito estranho na doca 6, algo que por quase dois séculos escapou ao entendimento de humanos e robôs. O que estaria causando aquelas anomalias, aqueles sons estranhos, aqueles alertas sem motivo aparente? O que há de tão estranho na doca 6?

ROBBY por Carlos RelvaUm robô pode amar? A paixão pode encontrar morada em um peito de engrenagens e circuitos? Cientistas dizem que não, estudiosos dizem que sim. O que realmente importa é que aquele robô acreditava que amava e lutaria para defender seu objeto de adoração, nem que para isso precisasse matar

DEMÔNIOS DO PASSADO por Charles DiasEm um mundo que começa a esquecer seu passado sangrento e violento, a esperança convive com a devastação, a prosperidade se sobrepõe a velhos pecados de guerra. Nesse mundo de contrastes, uma mulher, acostumada a apagar o passado em nome do futuro, terá de se confrontar com seu maior pesadelo

A SOLUÇÃO POR UM FIO por Joshua FalkenDizem os cientistas-poetas que o universo é um grande espetáculo, e que os astros dançam balé obedecendo às notas da sinfonia das equações matemáticas, sob o comando das leis da física. Para uma nave condenada, a única possibilidade de salvação é participar desse espetáculo de titãs

CIDADE SUSPENSA por Leonardo CarrionNo mundo de Mada, viver nas alturas é algo comum, mas não para ele, e por isso sofria. Por amor a Have, teria de fazer uma jornada ao desconhecido, onde nenhum outro guerreiro ousara ir. Somente a descoberta do que há abaixo da linha das nuvens permitirá que ele também se torne um guerreiro e merecedor de sua amada

O MERCENÁRIO E O ABISMO por Ubiratan PeleteiroUm homem atormentado por seu passado desce às profundezas do mar para mais um trabalho. Quando finalmente chega ao seu destino, encontra algo que nunca pensaria ver naquele lugar, e finalmente tem a chance de acertar as contas.
-