Morre o pai da cultura underground

Morre na França o pai da cultura underground

Da Ansa

PARIS, 10 SET (ANSA) - A França perdeu hoje um dos pais da cultura underground, Jean-Francois Bizot, jornalista e fundador da revista Actuel e da Rádio Nova. Ele morreu no último sábado, aos 63 anos, após uma longa luta contra um câncer.

Em seu livro "Un moment de faiblesse" (2003) ele havia nomeado sua doença como "Jack o estripador".

Engenheiro econômico de formação, de família burguesa, maoísta e integrante do movimento estudantil de 1968, Bizot havia sido jornalista da revista L'Express, antes de fundar com alguns amigos, entre os quais o atual ministro das Relações Exteriores francês, Bernard Kouchner, a revista Actuel, publicação da esquerda militar, nascida com a explosão do free jazz.

Hoje Koucher fez uma homenagem a Bizot lembrando dele como um "amigo e companheiro de aventuras", mas também "um homem das contra-culturas de onde desponta a vida".

Nascido em 19 de agosto de 1944, Bizot foi um dos "profetas da contra-cultura" para o jornal Le Monde, sempre ligado nas novas tendências.

Universo punk, homossexualidade, feminismo, ecologia, pirataria informática, sexo livre e utopias entraram em seu jornal, revolucionário para a época. Rapidamente Actuel começou a vender 50 mil cópias a cada nova edição.

Autor de diversos livros, romances e ensaios, em 2001 em "Underground, l'histoire", Bizot definiu assim a contra-cultura: "ser capaz de não estar na linha, ter a coragem de fazer aquilo que sai dos esquemas da época".

Em 1981, ano em que François Miterrand foi eleito presidente da França, Bizot fundou a "Radio Nova", uma espécie de extensão do jornal, onde se mesclavam todos os ritmos musicais, mesmo os mais alternativos, do reggae ao rap, dos hippies ao hip hop.

Depois ocorreu o lançamento da revista "Nova Mag" e de alguns filmes como "Get up stand up: l'histoire du reggae" (1995) e "Gimme my money back" (1996).

Bizot foi também descobridor de talentos. Entre suas descobertas estão os atores Jamel Debbouze e Edouard Baer.

Em 2003 ele costumava dizer de si próprio: "me tornei fora da moda. As modas me dão nos nervos, em qualquer caso, elas voltam sempre". (ANSA)

http://noticias.bol.uol.com.br/entretenimento/2007/09/10/ult89u7969.jhtm

Nenhum comentário:

Postar um comentário